sexta-feira, abril 04, 2008

Menu Musical

Prato do dia (#3) - Mallu Magalhães


Sexta passada aconteceu, aqui no cidade maravilhosa, o show de encerramento do festival Evidente, produzido por Rodrigo Lariú. A grande atração era uma tal de Mallu Magalhães, e o próprio Rodrigo me disse: “cara, sei que é estranho eu te dizer isso, mas acho melhor você nem vir, o lugar tá mais do que lotado e você não vai conseguir entrar”.


Segunda-feira, na reestréia do programa do gordo mais pedante da televisão, lá estava a mesma Mallu Magalhães, que descobri tratar-se de uma paulista que canta e toca violão, banjo, gaita e escaleta. E o mais surpreendente é que estamos falando de uma garota de 15 anos.





Mallu já é um pequeno fenômeno na internet. Seu Myspace (veja aqui) já ultrapassou meio milhão de acessos. O vídeo dela tocando naquele programa que passa de madrugada, apresentado pelo garoto mais idoso da televisão, já foi visto mais de 100 mil vezes. No tal show lotado que perdi - o primeiro dela fora de Sampa -, diretores artísticos e demais picões das maiores gravadoras multinacionais se acotovelavam na primeira fila (conforme amigos me contaram depois). E tudo que ela tem gravado em estúdio, até agora, são as poucas músicas disponíveis na internet, que ela conseguiu gravar com o dinheiro que ganhou no seu aniversário de 15 anos.


Além da idade, o que há de idiossincrático é o fato desta menina de 15 anos, contrariando toda e qualquer tendência teen, ser fã de Bob Dylan, Johhny Cash, Belle & Sebastian, Elvis e Beatles. Enquanto a baiana Pitty, uma “senhora” de 30 anos, canta seu rock moderno para crianças e adolescentes, Mallu encanta adultos que poderiam ser seus pais e quiçá avós, com um repertório inspirado no cancioneiro folk norte-americano. E o faz sem tentar esconder os trejeitos juvenis que revelam tratar-se de uma menina meiga e cativante, que costuma batizar os próprios instrumentos como se fossem bichos de pelúcia e cujo caminho musical ainda tem muitas notas para serem percorridas.









* Destaque para as canções J 1, Tchubaruba (prestem atenção no piano) e para uma versão de Folsom Prison Blues, do fora-da-lei Johnny Cash.

18 comentários:

Paulo Bono disse...

acho que não sou um gordo pedante, mas um gordo ignorante. não conheço a guria. mas vou agora mesmo procurá-la na web.
valeu a dica, rubro-negro

Paulo Bono disse...

ouvi e gostei!

Sunflower disse...

Queria ser amiga da Mallu. Deixava ela escovar meu cabelo se ela tocasse banjo pra mim.

Cascarravias disse...

Arthur, esse post não era pra ter sido publicado terça?

Tchellonious disse...

Eu vi a guria no Altas Horas nos baixos dias de 2008 e já a achara fenomenal, graças à teia eletrônica, e também paradoxais suas predileções sônicas diante de seus contemporâneos. Sem xenofobia, o ideal mesmo seria que ela compusesse em português. Mas já é um alento para esta pasteurização musical.

SAMANTHA ABREU disse...

tô encantada com a garota...
já tinha ouvido falar, mas achei que era uma bobagenzinha.
Aí, li num jornal.. vi um vídeo ali, outro aqui. E reparei: a menina é ótima.

;D
Um beijO!

Banana disse...

visito sempre seu blog via Sunflower :)
foi o primeiro que me convenceu a procurar pela moçoila, portanto, mereceu o comentário. mas, de qualquer forma, leio sempre, que fique dito!

gigi disse...

ei, pensei que vc tivesse conhecido maluzinha por mim.

ela é uma stephinha, só que mais bobinha, mas igualmente fofa!

adoro malluzinha!

digitei um texto enorme sobre as mulheres e o cocô. fui procurar o plural de 'esfíncter' e o blogger caiu.

levando meu texto.

Henrique disse...

Cara, vi essa menina na segunda à tarde!
Não consigo nenhum comentário distante daquele que é mais recorrente:"Ela é uma graça!"
O que eu achei incrível é que fica difícil achar alguém que ainda não a tenha visto. Isso me pareceu mais nítido na medida em que até mesmo eu, teoricamente isolado, não só a vi como, no mesmo dia, fui bombardeado por todas as informações sobre a cuja.
Pensei na hora: SUPEREXPOSIÇÃO PROGRAMADA. Mas eu tenho tendências a formular sempre uma conspiração.
P.S.> Gigi, já terminou o texto com o plural de cu?

Anônimo disse...

Mais uma Avril Morrissettee

Patricia Rangel disse...

odeio crianças precoces. me sinto muito mongol.

Bianca Feijó disse...

Arturo!!

Coincidência, estava procurando o site da guria!

Eu a vi tocar e fiquei encantada, é uma apresentação culta.

Nossa, que bom encontrar por aqui ,e ainda de forma completa!

B.E.I.J.O.S

Clara Mazini disse...

Gostei das influências. Mas cá entre nós... se estamos falando de música boa, ouvir esses caras é o mínimo.
Bom, mas eu adoro gaita, então vou dar uma conferida. Se você gostou, vejo com outros olhos (e ouvidos).
Beijo, querido!

Dani Morreale disse...

hummmmmmmmmmmmmmm!!!!!!

Gostei.

Anônimo disse...

não, essa menina não é isso tudo.
sim, paulo bono é um gordo pedante.
talvez venha um post melhor.

Diogo Lyra disse...

Ai, ai...

... (ai)nda tem gente que compra esses produtos da mídia paulistana!

Careca disse...

Gostei da dica. A menina canta bem à beça!!

alvarêz dewïzqe disse...

já ouvi a menina, faz um som legal mesmo.
e essa foto do Johnny Cash é de fuder, que massa!