terça-feira, dezembro 04, 2007

"Antigamente" e "hoje em dia"




O filho que um dia terei nascerá num mundo dominado pela tecnologia digital. Das fotos aos vídeos, das fotocópias aos textos, das músicas aos caixas de supermercado e balanças das farmácias, tudo obedecerá (como já obedece) o mesmo sistema de digitalização de dados, deixando a velha mecânica de lado.


Quem tem mais de 20 anos acompanhou o descortinar deste mundo digital, em muitos casos surpreendendo-se com a velocidade nauseante com que os símbolos da tecnologia de outrora foram descartados. Estes, que chamarei carinhosamente de velhos, não conseguem aplacar o sentimento nostálgico que lhes invade quando pensam em “antigamente”. Antigamente, muitas vezes, é um lugar idealizado descolado da realidade, construído a partir de lembranças seletivas que tendem a fazer deste “antigamente” um lugar muito mais plácido e interessante do que o “hoje em dia”, termo que representa a morada dos que chamarei pejorativamente de jovens.


Os velhos acham que o mundo de “hoje em dia” é mais violento, mais corrompido, mais esvaziado de valores do que o mundo de “antigamente”; acreditam que os jovens de “hoje em dia” não têm a consciência e a participação política dos jovens de “antigamente” e, com grande freqüência, valem-se de exemplos lúdicos dos tempos de “antigamente” para desqualificar as diversões tecnológicas tão caras aos jovens de “hoje em dia”.


Não há dúvida: embora fascinado pelas inovações tecnológicas do mundo de “hoje em dia”, me identifico mesmo é com o bonde dos velhos. E sinto, a cada ano que passa, a invasão deste saudosismo quando penso nas diferenças que existirão entre o “hoje em dia” do meu filho e o “antigamente” de seu pai:


Meu filho irá franzir a sobrancelha quando avistar minha Olivetti Lettera 82. Meu filho irá se referir ao telefone do jeito que eu me referia ao aparelho dentário: fixo e móvel. Meu filho terá alguma dificuldade em posicionar uma agulha no sulco que divide uma música da outra num disco de vinil. Meu filho sempre terá o impulso de olhar atrás da câmera após tirar uma foto para ver como ficou, e nunca compreenderá como é que um dia pagamos tão caro por um filme com apenas 12 “poses” que não podem ser vistas, deletadas ou refeitas. Aliás, meu filho nem saberá o que é um filme de câmera, e talvez eu tenha que ensiná-lo como é que a luz imprime imagens dentro daquela caixinha escura utilizando um papel fotográfico dentro de uma lata de Nescau (tal como fez meu professor de fotografia na oitava série).


Meu filho estranhará saber que, há pouco tempo atrás, só se assistia televisão na própria televisão, e só havia uma em cada domicílio familiar. Não fará idéia da utilidade que um par de palitos com bombril na ponta já tiveram em nossas vidas. Olhará com curiosidade todos os itens mencionados acima, bem como fitas de Atari, VHS, cassetes e disquetes. E, finalmente, meu filho não conseguirá, por mais hercúleo que seja o esforço, imaginar que “antigamente” a vida era possível sem computador e telefone celular.


Eu sou do bonde dos velhos, e o bonde dos velhos não entende o sintomático ditado da era digital:




29 comentários:

Paulo Bono disse...

pensar nisso é chato paporra. dá uma certa agonia. porque sei que estou nesse mesmo bonde.

abraço, velho

CresceNet disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
011 1406 disse...

oi, te achei pelo gogle, o antepenultimo post era legal.
mas eu estou aqui pra dizer que as meias vivarinas sao indestrutiveis.

ryanderson wysley disse...

agua agua, skol gelada, coca zero h2o!!!

Vivi disse...

Bendita nostalgia...Adoro a tecnologia mas quanto aos valores, sou pessimista e vejo que, ao contrário de antigamente a tendência é colocar tudo no plano do descartável: Hoje em dia há quem colecione celulares e até gente.

Lia Drumond disse...

Eu sei que o meu filho não vai saber de nada disso, mas me consolo na esperança de que ele me ensine sobre o mundo cada vez mais novo e que será cada vez mais dele enquanto o tempo passa...

Gahyva disse...

- "Antônia, você fala demais! Parece até que engoliu uma vitrola!"

- "O que é vitrola, mamãe?"

Pois é...
O que procê é futuro, pra mim é hoje em dia.

Cascarravias disse...

tem coisas que eu ando vendo na tv que me faz pensar que em vinte anos vou me tornar um daqueles velhinhos que nao conseguem pagar contas no caixa automático. ainda bem que conheço o Lelo.

Jota disse...

Outro dia eu tava lembrando, com um amigo e colega de geração, dos joguinhos de Atari e Odissey. E eu pensei na época em que "antigamente" era usado pra definir a época da juventude dos meus pais...

A respeito do teu comentário no blog da Jana, Arthur, uma correção: o gringo que comenta no teu blog é o Coringa, turbinado de pó e Red Bull, digitando de um laptop, diretamente de sua cela acolchoada no asilo Arkham para os Criminalmente Insanos, absolutamente convencido de que o Cascarravias é o Batman.

Eu sou só um cara prolixo.

Jota disse...

Aliás, seguindo fielmente essa linha, permita-me adicionar que permiti-me adicioná-lo ao meu blog, coisa que já deveria ter feito antes, dada a qualidade da tua página, mas como sou um cara preguiçoso e desorganizado (e perco muito tempo digitando comentários nos blogs que visito), aproveitei-me da comodidade de ter acesso ao teu link na página da Jana para, quando abrisse a página dela, matar dois coelhos com uma só cajadada, prática que, acredito, é bastante difundida no meio blogueiro.

Viu?

Prolixo.

SAMANTHA ABREU disse...

eu tenho mais que 20.
e seu texto é maravilhoso.

Não sei se isso é de todo ruim, ou de todo bom.
E pena que nós, meros mortais anos 80, não podemos mudar isso.
É muito veloz essa 'grande máquina'.

Beijos!

Yara disse...

Eu não tenho mais que 20.. mas tenho presenciado tudo isso... É estranho. Eu mesma quando pequena, ouvia discos de vinil, e logo vi a ascensao dos CD´s.. Vi tbm a maquina de escrever ser jogada no canto e substituida pelo computador.. Vi todas essas coisas e continuo vendo. E nao sei aonde vão parar, talvez tecnologia demais, sobre.
beijos.

>>Literatura Inside<<

Anônimo disse...

Arthur man,
There is so much you write that I want to comment on. You make me think of things that transcend the bounds of our conventional reality...

What gives me joy is to see a comment more than 3 fingers long. For a brasileiro in the blogosphere, it's the most subversive thing.

Arthur began this blog as a whim. Some of us can appreciate the pain and agony of thinking and writing something worth the while. 16 thousand hits, Arthur! Yet some of these bastards can not appreciate the hard work you have made for such an accomplishment.

I am struck by how profound an acomplishment this is. The military Juntas who ruled your great nation did their best to eradicate a guy like Arthur. They intended to eliminate any crtical thinking and originality from brazilian society.
Most of the time I must confess, they have succeded. Arthur has tried his very best to re-establish what they had taken away from us all.

Anônimo disse...

It's been almost 2 and a half years since I was there. Brazil gave me the opportunity to finally live the life I have always yearned for. For this I will always feel a great gratitude.
While I was there, I met the most profound people. A real subversive Carioca isne who can make an honest Real. I had the pleasure of spending a lot of time with a real Crioca milionaire. This guy was the personification of the american dream but he did it all in Rio de Janeiro.
To know his history is to know both the triumphs and history of Rio. 3 times a weekld go to this guy's house to smoke maconha and learn his wisdom. Dona Grossa did her best to ruin this relationship but it failed.
This true son of Rio would teach me the real deal about Rio while I taught him English. This true carioca was in love with his wife and swore to never to cheat on her, yet Arthur and I both witnessed his wife cheating on him.

4rthur disse...

Garrett dude, I just came back from the Police concert and I can see you're writing in my blog at this very moment. I'll give you more details during the week. Take care.

Anônimo disse...

Does it matter? Did he know what was really going on? I am a man of honor so I did not dare tell him. This carioca patriot was there when the shit went down. His friends were caught and tortured. Some were even killed. His best revenge was to become succesful and carry on their spirit. Yeah, being stoned out of your mind while Exxon/Mobile and Haliburton kissed your ass was the best revenge. How they marveled at his English too.

Anônimo disse...

Arthur,
if you saw the Police then you are a far richer man than I. Lucky bastard you are.

So for those of you who support Arthur's blog, please tell him what you REALLY think and FEEL. As for you Casca fans..,well you're going down with the Titanic. This guy will do anything to keep from doing a real job. A PHD in political science???? Please suck the sweat from my over-worked and under-paid balls. Casca has never known this reality. He has done everything he could to avoid this reality.
Casca man, get a real fuckin' job and Edu Goldenberg, you do the same. If you wont run for Mayor of Rio then at least become the chief of staff for the guy who does. If not then accept the fact that I trump you. Prince always supercedes Duke.

Anônimo disse...

Yes I am a pssionate mother fucker. I envy the great Che Guevarra because he died a handsome man. My step-mother's ex-husband was there when they killed Che. He has never recovered from this. He'd get drunk on the Jack Daniels and tell us Che was the christ incarnate. To see a CIA man cry like a baby was weird.
Perhaps my ex-step father was like the centurion for the crusafixion. Yeah the CIA often confess their sins to me. You'd be amazed with what I already know. A six pack of beer is the best thing to start with...

Anônimo disse...

I often write Arthur personal e-mails begging him to stop posting articles in his blog that provoke my ghastly opions. Yet he feels me and the Casca are a great combo. Naooooooooooooooooo!!!
My great parody is Edu Goldenberg. He chose to stay yet I chose to keep moving. For Arthur to have 2 brothers such as this is a great blessing.
As for Casca...well his barriga is so big that he can't see his fully erect penis every morning. A truly american malady the Casca is afflicted with. One of my goals in life is not be like Casca... My father went to Harvard,,,FUCK YOU!!!!!

Anônimo disse...

I have a dream y'all. A dream that's so subversive that our masters will cringe with horror. What is it you ask? A genuine samba parade exhibiting the entire history of the USA marching down Pennsylvania Avenue in Washington DC. This is the revolution.
I will make these guys official grand martials. The symbiosis between brasil e america? You do right what we do wrong and vice versa.
There you have it. Here you know the great plan."....Mine eyes have seen the coming of the Lord..."

Cascarravias disse...

engraçado, não fiquei nem um pouco impressionado por ler manifestações de anti intelectualismo de um estadunidense que jura saber muuuuito mais sobre a realidade brasileira do que qualquer cucaracho que dedique a vida a estudar o assunto... talvez eu já tenha visto isso o bastante pra saber que a programação cultural a que estão submetidos estes bichos de goiaba é abrangente o bastante pra abarcar perto de cem por cem por cento do curral.

Cntudo, confesso que essas menções a minha anatomia me deixaram um tanto embaraçado. esse gringo asqueroso ficar me imaginando da forma como ele me descreve é de embrulhar o estômago. porra gringo, vai alimentar sua imaginação com o canal adulto da tv a cabo.

a propósito, com essa concepção esdrúxula de o que venha a ser "revolucionario", é compreensível que veja em Che o exemplo máximo. foi exatamente a sua egolatria, individualismo e prepotencia que o levaram a ser metralhado por vermes como seu padrasto

Bianca Feijó disse...

Como dizia meu avô: "Antigamente não precisamos de celular,computador e afins para ficar rico"
A.D.O.R.E.I !
Beijão!

PIN UP disse...

rapazzzzz
saudades suas

olha, postei um texto sobre minha aventura com a gigi e o paulinho, sim, ele, o da viola

vai la

beijos saudosos

pastor edevair disse...

deus te abençoe meu filho, e que te ilumine o caminho para que nunca desistas da jornada antes de cumprir sua missão.

worth arthron disse...

tremei! regozijai! rejubiliai!

warwalak está chegando!

Adriano Caroso disse...

Seu blog é muito bom. Coloquei um link dele no meu. Parabéns!

Adriano Caroso disse...

Eu sou deste bonde também. O saudosismo é natural, mas não temos outro jeito a não ser nos adaptarmos. Grande texto. Sempre quis escrever sobre o assunto e agora acho que não tenho mais nada a dizer. Abraços!

Rackel disse...

Antigamente a vida passava mais devagar, dava tempo de viver mais do q se vive hj em dia, vc não acha?!? Essa tecnologia toda só serviu pra acelerar o meu tempo mais do q eu pretendia q ele acelerasse...

Queria q o meu filho pudesse saber o q é um atari! rs

bjs e bons ventos aqui, moço

Dorli disse...

Meu Deus Artur! Pensei que tivesse minha idade, antes de ver sua foto.Tenho 64 anos e, digo com toda a veemência que antigamente era melhor, tenho até uma vitrola 3 e 1 que vou dar pro meu filho quando ele se casar.
Não sei se foi por ser criada no interior, eu e uma turma íamos catar goiaba e subíamos nos pés de jabuticabas e vazávamos pela cidade toda. O calor não era escaldante como hoje, pois antigamente aqui na minha cidade não havia cana-de-açúcar todos tinham trabalho e se contentavam em ser pobre. Hoje não a ganância está acabando com o mundo. Ninguém tinha depressão. Era só alegria.
Dorli- Lua singular